Alice no País das Maravilhas (1976)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Garota hentai.gif TAAARAAAAADO(a)!

Tava procurando putaria e caiu nesta página "sem querer", não é?! Pelo menos feche a porta do quarto e divirta-se!

Alice Beijo, a protagonista da trama, mostrando porque fez o País das Putarias mudar seu nome para País das Maravilhas (embora ambos lhe caiam muito bem...).
Cquote1.png Oi moço, você sabe onde fica o País das Putarias? Tô precisando de uma carona até lá. Olha, eu não tenho grana, mas posso pagar de outro jeito... Cquote2.png

Alice in Wonderland: An X-Rated Musical Comedy é um adorável filme lançado e produzido no ano de 1976, grande clássico do gênero comédia musical, boicotado por algumas pessoas invejosas e acusado falsamente de ser uma produção pornográfica, o que é uma enorme falácia! Esta obra de arte cinematográfica trata-se de uma das mais belas e fiéis adaptações do famoso e consagrado livro infantil Alice no País das Maravilhas, sendo visivelmente superior ao desenho animado produzido em 1951 pela Disney, em todos os sentidos. Porém, graças a tantos boatos maldosos de gente mal intencionada e incapaz de reconhecer o grande valor cultural que um longa metragem como este é capaz de agregar ao cinema mundial, esta pérola dos anos 70 foi engolida pelo tempo e acabou no limbo, já que sua fama de se tratar de paródia pornô sobressaiu-se e portanto, poucas crianças tiveram acesso a tão pura e casta forma de diversão pueril. Como se todo esse desrespeito já não fosse o bastante, ainda apelidaram maldosamente a película de Alice no País das Putarias.

Sinopse[editar]

Era uma vez uma linda menina chamada Alice. Dona de uma grande e invejável beleza, dessas que fariam qualquer um surtar para ter a chance de cortejá-la, a jovem donzela no entanto é uma moça fiel e jamais trairia seu namorado para transar com outro cara, até porque ela não faz dessas coisas feias nem mesmo com ele. O namorado (que se chama William, mas isso não importa) até tenta fazer com que ela ceda o cabaço para ele, mas todas as suas tentativas acabam sempre frustradas. William já estava quase se conformando de que aquela situação ia ser eterna, até que teve a ideia de apelar para o velho truque do boa noite Cinderela e drogar a própria namorada para conseguir obter sua tão esperada foda. Infelizmente, esse plano também não deu certo, afinal de contas, aquela era a história da Alice, e não da Cinderela, então ele foi vetado pelo diretor do filme de utilizar o método para não misturar os contos de fada e confundir o público que assistiria depois. Sem problema, afinal de contas, o conto da Alice é cheio de cogumelos alucinógenos, então era só ferver alguns e preparar um chá para sua namorada beber que daria praticamente no mesmo. Alice bebeu o chá de cogumelos sem nem suspeitar de nada, mas não adormeceu (até porque essa também não é a história da Bela Adormecida). Ela ficou foi bem louca e começou a achar que era uma exterminadora de zumbis. Ao avistar William, ela não o reconhece e pensa se tratar de um zumbi, então pula em cima dele e tenta matá-lo. Para se defender, ele pega e atira nela a primeira coisa que vê pela frente, que coincidentemente era o livro Alice no País das Maravilhas. Alice é atingida na cabeça e, como já estava com o miolo mole, até que enfim desmaia. Devido ao chá, ela sofre uma overdose cogumélica e entra em coma profundo, sendo visitada em sonho pelo Coelho Branco e outros personagens fumados do País das Maravilhas. O filme acaba com um final feliz para o casal Alice e William: ela perde a virgindade em uma suruba imaginária com seres lisérgicos que não existem, e ele até que enfim consegue estuprá-la.

Legado[editar]

Alice em sua plantação de cogumelos afrodisíacos.

Em seu lançamento, o filme passou nos maiores festivais cinematográficos dos Estados Unidos e foi um sucesso de público e crítica (é sério). Foi um forte candidato a levar todas as estatuetas do Oscar naquele ano, mas infelizmente foi impedido de concorrer devido a acusações de plágio feitas por parte da família de um tal Lewis Carroll, que estava exigindo 69% de todo o dinheiro lucrado até então, chegando até a ameaçar que meteria um processo judicial em todo mundo que estivesse envolvido com a produção caso não tivesse sua ordem acatada. Posteriormente, ocorreu seu lançamento em VHS, que tornou-se um best seller e saiu em duas versões, para maiores e menores de 18 anos. Como se faz para lançar um filme pornô para menores? Ora, este é um clássico infantil, você não leu a introdução do artigo? Os boatos a respeito da suposta pornografia são todos falsos! A versão para maiores nada mais é do que o mesmo filme em formato widescreen, o que aumenta o campo de visão da tela e por isso a imagem acaba ficando ampliada, entendeu? Essa versão é considerada raríssima atualmente, então caso você saiba de alguém que tiver, pode colocar à venda no Mercado Livre por até um milhão de reais em barras de ouro que valem mais do que dinheiro.