Brasão de Armas da França

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
França
Escudofrancia.png

Brasão de Armas da França é o brasão mais antológico, antagônico e irônico de toda a Europa pois é o único que mistura o passado fascista-neonazi do país com a atual atmosfera iluminista liberal afrescalhada anti-cristã e anti-heterossexual francesa.

O brasão de armas francês que já foi alterado mais de 8000 vezes ao longo da história do país, foi adotado em 1953 a pedido da ONU que queria um escudo bem transado e fashion para representar a república francesa na câmara internacional.

Descrição[editar]

Totalmente monocromático por ser todo revestido a ouro que nunca sai de moda, logo na frente temos o sub-escudo mais estranho de que se tem notícia, que nem pode ser considerado um escudo pois parece mais um machado sem cabo. Contendo nas extremidades os animais nacionais, na ponta direita a ave nacional Piplup e na ponta esquerda o mamífero Gardevoir, esse que é um símbolo destacado e orgulho da nação da França.

Por sua vez no fundo, bem no fundo mesmo podemos ver algumas folhas de Cannabis Sativa, essa planta que simboliza e é a base do pensamento pós-moderno multicultural francês misturada com as folhas de louro que não podem faltar na inconfundível culinária indutora de vômito local. No centro estampado triunfantemente está o fasces representante do outrora fascista de Philippe Pétain e a França de Vichy, podendo ser visto como uma reflexão sobre a virilidade de épocas napoleônicas que ficou no passado e hoje não passa de uma lembrança vaga na mente francesa.

E por fim adicionado em 2015 está a Torre Eiffel, monumento fálico nacional famoso mundialmente que aqui aparece partida ao meio, em uma metáfora sobre a morte da velha cultura reacionária e o despontar de uma nova era com o califado francês.