Cirrose hepática

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Cquote1.png Tudo vale a pena, se a dose não é pequena. Cquote2.png
Fernando Pessoa sobre morrer de cirrose hepática

Cquote1.png Foi u CÃO qui butô pra nóis MURRÊ!!! Cquote2.png
Jeremias José sobre cirrose hepática

Isso aí é um fígado no estágio terminal de cirrose hepática...

A CIRROSE HEPÁTICA é uma doença que atinge o figo, o órgão mais importante do corpo, segundo os renomados doutores João Canabrava e Jeremias José. A cirrose é capaz de inchar o fígado até lhe criar nódulos (lesões) e o tornar necrosado -jargão científico para o popular "totalmente fodido". É uma doença, portanto, que ataca dez entre dez cachaceiros e pinguços em geral. Pode ser mortal, mas, devido à capacidade de regeneração única do órgão referido, dificilmente leva à morte -senão o Zeca Pagodinho já teria batido as botas há muito tempo...

A cirrose hepática começou a se tornar uma doença popular na Grécia decadente. Cansados de filosofar por aí, os gregos estavam cada vez mais afeitos a uma boa festinha, regada a muito vinho e sacanagem. Aproveitando-se disso, Alexandre, o Grande resolveu dominar o país. Não encontrou muita resistência. Os soldados gregos que não morriam de cirrose hepática acabavam tropeçando nos próprios pés e desmaiando, ao andar em zigue-zague, antes mesmo de chegar ao front de batalha.

Atualmente, a cirrose hepática se tornou uma celebridade. E deve muito disso a grandes nomes que sempre confiaram no seu talento como destruidora de vidas, alçando-a ao estrelato quando o assunto é doenças. Um dos mais prestigiados nomes a catapultar a fama da cirrose foi Fernando Pessoa, um vagabundo intelectual português autor de grandes porres poemas e consumidor crônico de whisky.


Maneiras de se evitar a cirrose hepática[editar]

Clube da Cirrose.

e parar de digitar idiotice.certo?