Cu Pequeno

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nova Bandeira da Bahia-Desciclopédia.PNG Colé moral, essi negoçaqui é da terra do dendê. O tio qui feiz issáqui é cuncerteza baiano, intõ, sinhá disgraça de lá do sul da minha caceta, num méxi nas porra daqui nã, vu? Ô vô rumaladsgraça e inda chamo a barrêra pá ti pancá, seu comédia.
Gnome-searchtool blue.png Cu Pequeno é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Pra pegar sinal de TV aqui, só com antena parabólica.

Sciences de la terre.svg.png

Cquote1.png Pequenininha, mas é garantida! Cquote2.png
Cupequenenino sobre a própria cidade.

Cu Pequeno é uma pequena cidade horrível no interior da Bahia, chefiada pelo segurança de biqueira e ator pornográfico Alexandre Senna.

História[editar]

Sinalização de boas-vindas que indica que você está entrando em Cu Pequeno.

Foi afundada por imigrantes italianos, mais precisamente pelos Irmãos Matarazzo, em meados de 1900 e lá vai rola.

Em seus primórdios, o pequeno vilarejo recebia de braços e cu abertos os machos virgens que vinham dos mais variados cantos do país e do mundo, já que não encontravam moradia e aceitação em outras cidades brasileiras.

Os primeiros prefeitos de Cu Pequeno foram os próprios irmãos Matarazzo, mas ao perceberem que o vilarejo era uma bosta, mudaram-se para Erechim, no Rio Grande do Sul, onde assumiram uma relação homossexual incestuosa e adotaram uma criança macho, que chamaram de James Matarazzo.

Abandonada por seus fundadores, a cidade de Cu Pequeno virou um alvo fácil para os moradores da cidade vizinha, Pau Grande, que todos os dias invadiam o território de Cu Pequeno, arrombando as fronteiras e causando muita dor e sofrimento. Apesar de com menor intensidade, estas invasões territoriais ocorrem até os dias de hoje.

Nos últimos anos, a cidade de Cu Pequeno cresceu, e os locais consideraram mudar o nome para "Cu Médio", porém os nativos mais influentes da cidade, Alexandre Senna e Jô Abdul, discordaram da ideia, acreditando que isto descaracterizaria a cidade.

Geografia[editar]

Apesar de pequena, Cu Pequeno possui muito pelo mato, muitas florestas bem fechadas nas quais os ursos grandes, peludos e mansos podem relembrar suas tênues infâncias, brincando de médico com os amiguinhos e escondendo o estetoscópio deles em lugares onde o Sol não bate.

As fronteiras são meio abertas, na verdade são bem arrombadas, por isso tudo quanto é filho da puta anda entrando e saindo de lá sem nenhum controle.

No meio de Cu Pequeno há uma rua bem estreita, na qual os homens da cidade costumam passar quanto estão duros e estão atrás de um pouco de diversão barata e sem compromisso.

Turismo[editar]

Alexandre Senna, cidadão honorário de Cu Pequeno, exemplo da beleza do homem cupequenino.

Os nativos da cidade vizinha, Pau Grande, vivem fazendo bate-volta em Cu Pequeno, pois apreciam o território escuro, apertado e com mata densa desta cidade.

Nos últimos ânus, com a popularização da cidade após ela ser mencionada por Alexandre Senna naquele blockbuster clássico da Sessão da Tarde, chamado Teste Pornô, todo mundo anda entrando e saindo de Cu Pequeno na hora que bem entende, fazendo sua sujeira e deixando Cu Pequeno fedendo e largado.

Economia[editar]

Os habitantes de Cu Pequeno preferem não trabalhar com cédulas, ao invés disso, escolheram distribuir a moedinha por aí.

Para fortalecer a economia local, um pequeno grupo de machos virgens liderados por Vanderlei, aquele da sauna gay, conduzem um forte esquema de prostituição homossexual na cidade, inspirado naquele montado pelo Policial Gaúcho em sua prisão em Erechim. Apesar do nome, este esquema é apenas para machos, é feito tudo com muita masculinidade, não sendo permitidos beijos na boca e nem troca de olhares durante os coitos.

Educação[editar]

Cu Pequeno é uma das cidades modelo para a educação nacional, apesar de possuir uma população pequena, a cidade possui três escolas para atender as demandas educacionais. Estas são a Escolinha do Professor James, a Escolinha do Professor Demacol e a Escolinha do Professor Guina, nas quais são ministradas diariamente aulas de pica, aulas de rola.

O método educacional empregado nestas três escolas é o mesmo, o qual foi proposto pelo Professor Guina perante ao MEC e aprovado pelo ministro em atividade pela sua eficácia comprovada na prática, que diz que se algum aluno deixar de corresponder ao esperado em seu período de estudos, ele é comido já.

Por conta desta educação de qualidade oferecida, imigrantes de outros países optam por fazer seus intercâmbios nas escolas de Cu Pequeno, como é o caso do imigrante polonês Polaco de Família, que escolheu receber tutoria do professor Demacol, o qual muito solícito, ofereceu para o estrangeiro aulas de reforço particulares em sua cama.

Outro aluno de destaque que teve ânus letivos em Cu Pequeno é o Aluno Come Já, em seus primeiros dias na cidade era um adolescente rebelde que ficava vendo revista de homem pelado atrás da escola, mas após ser devidamente corrigido por seu professor, tutor e comedor Paulo Guina, tomou jeito, e virou um dos líderes do movimento estudantil, defendendo os interesses dos ursos machos virgens.

Nas quadras recreativas dos colégios, é oferecido para os estudantes atividades físicas variadas, apesar dos mesmos sempre preferirem praticar a Capoeira de Gaúcho, considerado o esporte local favorito.

Ver também[editar]