Desnotícias:Coelhinhos da Dolly voltarão a trazer alegria na Páscoa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

Recadinho do mascote Dollynho a essa fajuta tentativa de censura, amiguinho!

(não tem cidade, é só BRASIL mesmo)

Qualidade aprovada!

Depois de muito arranca-rabo na justiça, chegou-se à conclusão óbvia de que o comercial fofinho da Dolly Enterprises é simplesmente inofensivo, ao contrário do que alguns poderiam pensar. Sim, é algo que tanto eu como você (ui) poderíamos afirmar de imediato, mas infelizmente foi preciso muito tempo (11 ANOS) e rodeios em exaustivos estudos até que os "dotôres" da lei e diversos especialistas em propaganda pudessem chegar a um acordo e confirmar isso. A essa altura do campeonato, as crianças do vídeo em questão já devem estar mais preocupadas com a previdência que com as providências.

Segundo nossas melhores fontes, tudo teria começado quando alguém provavelmente descontente com a empresa, e/ou com as páginas do Facebook associadas, e/ou só com o produto mesmo resolveu fazer uma denúncia anônima. Segundo ele(a), as crianças eram exploradas durante a produção do comercial. Realizando trabalho escravo e assalariado, recebiam palmadas na bunda toda vez que o câmera dava um chilique nervoso por não poder corrigir os erros na edição posterior.

No período em que o material que exibia as crianças foi retirado do ar, o funcionário também teve de ser o garoto-propaganda (além de câmera e editor), porém esse registro é raro e só pode ser encontrado atualmente na última camada da Deep Web.

Ligou os pontos? Pois bem, suspeita-se que o faz-tudo e o indivíduo que denunciou a Dolly possam ser a mesma pessoa. A Polícia Federal decidiu mudar as prioridades e parar uma de suas investigações em Brasília a fim de interrogá-lo, porém o mesmo encontra-se foragido até o presente momento.

O DOLLYNHO FOI ACHADO BRINCANDO COM UM DINOSSAURO NO ACRE AGORA MESMO! 14/03/2018 22:37


Fontes[editar]