Desnotícias:EUA planejam invadir os EUA para garantir a democracia nos EUA

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

WASHINGTON D.C., Estados Unidos

Um discurso inflamatório de Donald Trump, que acusa fraudes massivas nas eleições presidenciais americanas para beneficiar a oposição, incitou vários manifestantes a tentarem (e conseguirem) invadir o Capitólio, sede do legislativo estadunidense, para interromper a validação da eleição de Joe Biden como novo presidente, a apenas duas semanas da posse deste. Em resposta, o governo local considerou chamar a Guarda Nacional para conter o protesto, porém, quando viu que todos os manifestantes eram brancos, deu para trás e simplesmente não tirou a Guarda do lugar. A polícia distrital de Washington trancou todas as entradas do prédio enquanto os congressistas foram evacuados para um local secreto. Bowser, prefeito de Washington, declarou toque de recolher em toda a cidade a partir das 18 horas.

Em discurso urgente à ONU, o secretário de Estado dos EUA declarou que esta é uma situação de emergência que exige as medidas mais drásticas e imediatas possíveis, e revelou que considera uma intervenção militar no país para trazer de volta a democracia. Mitch McConnell, líder republicano no Senado, agradeceu a oportunidade para mencionar as reservas de petróleo no solo e costa estadunidense.

Até agora, as perdas materiais são calculadas em algumas janelas quebradas, com o maior prejuízo sendo calculado na vergonha alheia que alguns manifestantes têm passado tirando selfies no meio da invasão. Fontes do FBI afirmam que alguns manifestantes invadiram armados o Congresso, enquanto os policiais que faziam a guarda do local jogaram bombas de gás lacrimogênio que não tiveram efeito porque o chororô dos trumpminions era ainda mais intenso.

Atualização: A SWAT entrou no prédio, mas não está fazendo nada além de tirar selfies com os manifestantes. Enquanto isto, um dispositivo explosivo foi encontrado na sede do Partido Republicano, mas já foi destruído com segurança.
2ª atualização: Uma mulher foi baleada e morreu quando manifestantes e policiais decidiram fazer um simulacro de CS no meio do Capitólio.
3ª atualização: Confirmadas as mortes de mais três manifestantes. A suspeita é de que alguns policiais envolvidos na segurança efetuaram os disparos. Autoridades competentes estão verificando se alguma das pessoas mortas era negra (algo difícil de se acreditar, tendo em vista que a manifestação era a favor de Trump). Caso seja confirmada a cor de pele escura em pelo menos uma das vítimas, os policiais deverão ser presos logo em seguida, para serem soltos uns três dias depois.
4ª atualização: O Facebook suspendeu indefinidamente a conta de Trump por incitar a manifestação de forma indireta. O Twitter começou a apagar posts que, de certa forma, incitaram os manifestantes e contestaram os resultados da eleição presidencial americana.
5ª atualização: A sessão foi retomada no Congresso americano, e Trump acabou por tomar no cu de qualquer jeito.
6ª atualização: Quando não se esperava mais nada, o Twitter baniu a conta de Trump. Políticos brasileiros e militantes de 14 anos meteram o nariz chamando o ocorrido de "golpe de estado".
7ª atualização: Morre a 5ª pessoa decorrente da invasão, e é um policial. Militantes internautas culpam Trump, mas nem tanto, já que era um policial.
8ª atualização: Trump finalmente reconhece que perdeu a eleição, após dois meses tentando convencer o mundo que foi roubado, incluindo perder milhões de dólares em ações na justiça exigindo recontagens que acabaram dando mais votos para Biden.

Fontes[editar]

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram