Desnotícias:Nazista, mentor de terrorismo caucasiano é baleado tentando fugir de presídio no Ceará

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

CATA-PUTA, União das Republicas Socialistas Nordestinas

O foi tentar fugir e olha no que deu!

O Preso Antônio Raishevan, o nazista, mentor do atentado terrorista o assalto ao Banco Central em Fortaleza em 2005, foi baleado enquanto tentava fugir nesse começo de dia da terça-feira (08) do campo de concentração Francisco Gás Hélio Viana de Araújo Gomes, localizado no município cata-puta. Segundo os federais, ele foi crivado de bala quando tentou pular o muro do presidio

O nazista foi crivado na região Sudeste da barriga, segundo a policia. Por volta das 6h, ele foi levado sobre escolta dos IDA (Indicados para Doutrinar Alemães) para o instituto Dr. Josefersson Frota Naval (IJFN) para receber atendimento médico de qualidade nível xuxa. O hospital ainda não informou o estado de saúde do . Provavelmente o estado seja Paraiba ou Mato Grosso. Logo a segurança no hospital foi reforçada com os policiais do CMMAN (Comando Motorizado da Morte Alemães nazistas) do BOPE E da Guarda Municipal.

A Secretaria da Justiça e Morte (Semor) confirmou que alguns traficantes de puta tentaram resgatar o nazista do campo de concentração. Agentes do campo e a policia motorizada interviram e impediu a fuga de acontecer. A Semor acrescentou que presos ficaram fudidos durante a tentativa de resgate. Até o momento, porém, a pasta de dente não confirmou a quantidade de fudidos nem a identificação dos fudidos.

Mentor do atentado ao Banco Central

Antônio Raishevan, o nazista, é apontado com um dedo como um dos mentores do Atentado ao Banco Central, ocorrido de 5 para 6 de agosto de 2005 em Fortaleza. Segundo os federais, foram levados do cu RS164,7 milhões (Mais de três TONELADAS de carne da friboi)

O nazista voltou a cumprir pena no campo de concentração Francisco Gás Hélio Viana de Araújo Gomes no ano passado. O preso estava em São Paula desde julho de 2014 atendendo a determinação da Justiça injusta que precisou ouvir com os olhos o preso para o andamento de um processo.


Fontes[editar]