Freguesia (Ilha do Governador)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.


Cquote1.png Eae le$k!? Cquote2.png
Aborrecente típico do bairro lhe cumprimentando (?)

Freguesia (a que fica no meio da Ilha do Governador) é um recanto de playssons e playboys no meio de uma legião de pobres que só não ficam mortos de fome porque podem se jogar no mar e tentar comer uma sardinha viva. Só pessoal de classe alta e classe média-alta vive nesse lugar. Alguns dizem que fica do lado do bairro de Bancários por isso, justamente porque dinheiro é o que não falta nessa parte da Ilha do Governador.

O bairro[editar]

Playssons Anormalius Mongalius é uma típica espécie de homenídeos que vive na área

Logo na entrada do bairro você pode perceber como apenas ricos vivem alí. Nas barracas de salgadinhos, logo na entrada do bairro, você, oriundo do Cu do Mundo decide ver o que comer. Além de se espantar com os preços que tocam o céu de tão altos, você nota Croassant na lista de preços. Curioso como é, tu decide comprar essa bosta, e, quando vê, nada mais é do que um brioche. Sim, são tão frescos cultos que chamam brioche de croassant. Mas nem pense em reclamar, pois, se perceberem que você é pobre, vão lhe chutar dali.

Além disso, o bairro tem vários outros atrativos, como...ahn...eh...talvez, em algum acesso de loucura de um dos retardados que ali vive, ocorrer uma chva de dinheiro, com notas de cem reais voando po todos os lados. Mas isso seria realmente difícil de acontecer, já que eles guardam-as para usar nos tempos de frio, como forma de acender a lareira.

A Praia da Guanabara possui a maior concentração de manés se pendurando em paus (sim, em ambos os sentidos, pois pelo jeito tem que ser muito macho para aguentar segurar num peru). Bom, provavelmente querendo se mostrarem fodões para as meninas oriundas geralmente de lugares pobres e que entram por lá procurando a grandeza do cidadão. Aliás, do bolso do cidadão.

Além disso, é fácil de se encontrar cocô de cachorro na praia, muito porque os moradores de lá adestraram seus cães a cagarem apenas no penico, mas não adianta muito, já que, usufruindo de uma inteligência sem igual, esse povo esvazia o penico na areia e o limpam na água do mar. Agora você sabe o porque para muitos, ter o ensino superior é equivalente a porra nenhuma.

Lá também é fácil de se encontrar mulheres extremamente sexys correndo pela orla, sim, tão sexys que as banhas chamativas fazem com que aquele movimento lindo de camisa apertada aconteça, o que faz você assemelhar tal imagem a de um botijão de gás todo encapadinho. Por esse motivo, as poucas flores que nascem no local tem o mesmo futuro: brochar e morrer.

Por fim[editar]

Não tem mais coisas a se destacar, além de um comércio tão forte quanto a Olívia Palito. Dois postos de gasolina adulterada, uma farmácia e uma ou duas lanchonetes que teríam aspecto de restaurante francês se estivessem num bairro como Cachambi ou Costa Barros.

Ah, sim, é comum encontrar arboredos em todos os locais dos bairros. Foi um pedido dos moradores, mas não ache que foi por causa de questões ambientais a plantação de tantas árvores, é porque os cães desse povo estavam sentindo a falta de um miquitório, e, mijar o pneu da BMW alheia é um pecado.