Indonésia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
IndonIndon.png
●NKRI (Negara Korupsi Republik Indonesia)
●República da Corrupção Indonésia

Bandeira da Indonesia.png Garuda2.png
Bandeira Brasão
Lema: Bhinneka Tunggal Ika (juntos no racismo)
Hino: Indonesia Payah (Indonésia fudida)
LocationIndonesia.png
Capital Jacarta
Maior cidade Bali
Língua indonésio, javanês e sundanês
Tipo de Governo Corrupção democrática
vice-presidente Barack Obama
Heróis nacionais O Lendário Peter Pan Indonésio
Independência 1810 dos mercantes armados
Moeda conchas
Religião suicidas extremos islâmicos
População 250 milhões de bebês por segundo.
Área difícil dizer... (?% de água)
Analfabetismo 2%%
PIB per Capita 45 dólares USD/hab.
IDH 0.o menor possível
Fuso Horário ??????
Clima tropical com calamidades naturais
Site do Governo O site do governo foi alagado mês passado


A Indonésia é um país corrupto de terceiro mundo cujos 250 milhões de habitantes bárbaros orgulhosamente insistem que eles estão vivendo em um país desenvolvido. É conhecido pela corrupção, preguiça do povo, fundamentalismo religioso, terrorismo, pobreza, poluição e prostitutas baratas. Mas, mesmo assim, é adorado pelos brasileiros por ter fuzilado um traficante nosso. Aliás... Far Cry 3 se passa lá.

História[editar]

Antiguidade[editar]

Escavações arqueológicas têm demonstrado que a pré-história da Indonésia consistia principalmente de ruínas, esqueletos, e cerâmica quebrada. Acredita-se que o indonésio como conhecemos hoje surgiu quando o Homo de Java repentinamente evoluiu de um hominídeo pré-histórico para uma entidade que sabia exercer a corrupção.

A Indonésia primitiva, na ausência de alguma identidade nacional, roubou toda a cultura e costumes da civilização indiana por volta de 500 a.C. Os antigos indianos até cobraram royalties pelo uso das inovações indianas como os livros sagrados bollywoodianos do Kama Sutra, mas os indonésio já haviam desenvolvido naquela época a sua ciência de corryupção, e nunca pagaram estes tributos aos indianos.

Índias Orientais Neerlandesas[editar]

Atraídos pela abundante oferta de empregadas domésticas baratas, no século XVII os neerlandeses se interessam na Indonésia através da promessa de tamancos feitos de madeiras exóticas e as míticas mulheres sem mamilos das Ilhas Molucas. Os holandeses tentaram invadir a Indonésia usando navios movidos à energia eólica advinda de enormes cata-ventos de papelão, mas a frota tombou e afundou no caminho, e todos os marinheiros afundaram juntos já que eles estavam usando sapatos de madeira.

Depois de mudar para navios ordinários e sapatos comuns, os holandeses finalmente conquistam a Indonésia no ano seguinte, e instituem as Índias Orientais Neerlandesas para monopolizar o comércio de drogas e prostitutas do Sudeste Asiático.

Domínio japonês[editar]

"私はインドネシアの女性が大好きです。彼らはゲームよりも優れている". O general Hideki Tojo elogiou a qualidade das mulheres indonésias.

Em 1942, durante um período de grande felicidade e prosperidade, a Indonésia foi conquistada pelo Império do Glorioso Dai Nippon Teikoku Yu Yu Hakusho. Desde então, milhares de Gundams foram transferidos para patrulhar as fronteiras da Indonésia.

O Japão, reconhecido internacionalmente pela sua grande quantidade de tiozões tarados pervertidos samurais honrados patrióticos, decidiram deportar para solo japonês uma imensa quantidade de meninas indonésias para satisfazerem suas necessidades sexuais. A falta do trabalho das mulheres devastou a economia da Indonésia. O governo do Japão como pagamento para a economia da Indonésia, concordou em fornecer um estoque ilimitado de Hentai por 50 anos como uma forma de pedido sincero de desculpas.

Revolução Nacional da Indonésia[editar]

A Declaração de Independência Indonésia escrita por Sukarno.

Em 1949, insatisfeitos com o domínio estrangeiro, o então Presidente Sukarno declarou guerra à Holanda para afirmar a independência da Indonésia. Os holandeses, irritados, responderam lançando uma invasão à Ilha de Páscoa, devido aos mapas com defeito que os holandeses haviam comprado em um posto de gasolina belga dirigido por paquistaneses.

Após o fiasco da ofensiva holandesa, foram realizadas negociações, os holandeses concordaram em deixar a Ilha de Páscoa, enquanto a Indonésia ofereceria prostitutas baratas e metanfetaminas.

Governo Sukarno[editar]

Por ser um otaku, Sukarno passou muito tempo a sós com suas artes, em vez de gerir a nação recém-nascida, e sua qualidade de liderança caiu. Devido aos altíssimos níveis de afronta a direitos humanos, as Nações Unidas expulsou a Indonésia em 1960. Sukarno, devido a sua falta de habilidades sociais, tentou apaziguar as Nações Unidas chamando-os de "Perserikatan Bangsat-Bangsat" ("Bastardos Unidos"). A ONU não achou graça e começou a ignorar completamente a Indonésia.

Sukarno, em seguida, ordenou a invasão da Europa Ocidental em 1961 para desesperadamente chamar a atenção internacional para a Indonésia. O custo da guerra levou a economia indonésia à hiperinflação e a frota não chegou nem no Sri Lanka. E a popularidade de Sukarno despencou.

Governo Suharto[editar]

Boliche praticado na Indonésia.

Em 1965, o país foi ideologicamente dividida entre monarquistas e comunistas. Os monárquicos queriam restaurar o Reino da Indonésia e coroar Shurato, enquanto os comunistas pretendiam depor Sukarno da sua ditadura e vender suas almas para a União Soviética. Os leais a Sukarno, consistiam apenas numa minoria da população da Indonésia e os políticos da época.

Em maio de 1965, secretamente, sob o comando de Shurato, é aplicado um golpe de estado e todos comunistas do país são deportados para o Vietnã em três dias e duas.

O ex-ditador Sukarno emitiu a declaração oficial de renuncia, oficializando sua aposentadoria, assim como a restauração da monarquia na Indonésia. Vendo este milagre, as massas indonésias começaram a tratar Shurato como uma divindade. Shurato, humildemente recusou o título imperial, optando por uma nova ditadura em seu lugar.

Os assessores de Shurato alertaram que tanto o capitalismo quanto o comunismo eram perigosas ideologias estrangeiras que só poderiam ser dissuadidas pela ideologia nativa da corrupção. O sábio Deus-Imperador Shurato declarou, então, o estabelecimento de uma nova nação ambiciosamente dedicada a promover a corrupção em todo o país.

Timor independente[editar]

Em 1998 a Indonésia deixa de ser uma ditadura monárquica e se torna uma democracia corruptocional. A confusão gerada pelo fim do governo Shurato fez com que em 2000 um plebiscito declarasse a independência de Timor-Leste.

Fatos recentes[editar]

Atualmente, a Indonésia é só um país pobre super-populoso, poluído, marcado pela corrupção.

O país ficou famoso a partir de 2014, quando misteriosos acidentes aéreos mataram muita gente Joko Widodo assumiu a presidência do arquipélago e se tornou o primeiro líder do estado do mundo a executar leis existentes. Tal fato despertou a incredulidade de governos permissivos, como o governo brasileiro, quando dois vagabundos foram executados pelo governo indonésio por estarem fazendo coisas que levam à pena de morte na Indonésia, como perambular por lá com dorgas.

Geografia[editar]

Veja como a Indonesia é desenvolvida, olha só um condomínio de luxo (deve ser o mais luxuoso da Indonesia).

A Indonésia é um país que muitos dizem ficar na Ásia, mas que por motivos óbvios faz parte do continente submarino Atlântida, mas esta parte do continente não afundou junto com o restante, e por isso os habitantes de Atlântida estão fazendo de tudo para aquela porra afundar logo.

Tentativas atlântidas de afundar a Indonésia:

Terremotos[editar]

Nos últimos 12 meses a Indonésia fora atingida por 850 terremotos, mas a população não cansa de sofrer e resiste às tentativas atlandidas de afundar sua nação, que originalmente pertence ao continente perdido.

Tsunamis[editar]

Em 3 anos essa merda de país foi atingido por 13 tsunamis, o maior dele foi provocado por um terremoto perto da Chechênia, o que gerou ondas de até 30 cm. Essas ondas gigantes foram mais uma tentativa de afundar com o resto do continente perdido.

Enchentes[editar]

Nas últimas semanas a Indonésia foi atingida por 300 enchentes nas 300 ilhas que não afundaram, isso por que nas ilhas tem apenas dois rios.

Vulcões[editar]

Desde seu descobrimento pela Holanda, os Deuses dos vulcões Indonésios estão enfurecidos, e a cada 2 anos entram em erupção. Esse é um dos grandes motivos pelo qual os Indonésios andam normalmente com guarda-chuvas à prova de lava. Após a última erupção do Merapi, em Yogyakarta, que não foi lá grande coisa, houve uma grande discussão entre os Chefes-deuses-vulcões, que decidiram deixar o destino da população mesmo na mão dos fanáticos religiosos e da gripe aviária.

Subdivisões[editar]

População[editar]

O motivo dos holandeses e japoneses terem invadido a Indonésia não é mistério pra ninguém.

A população da Indonésia é composta de diversos grupos étnicos que constantemente matam uns aos outros. Os principais grupos étnicos são os javaneses, os sudaneses, os wookies, e os canibais. Todos eles usam chapéus engraçados.

As mulheres indonésias são muito bonitas, uma mistura exótica entre indianas e japonesas. Infelizmente, elas são conhecidos por seus hábitos culinários de assarem pênis esfolados.

Casar-se com uma mulher indonésia é mal aconselhado, a menos que você seja um masoquista ou incluir uma cláusula pré-nupcial negando todas as formas de pensão alimentícia.

Turismo[editar]

Apesar de toda bosta que é esse país, ainda existe gente que insiste em ir passar uns dias em Bali, onde serão condenados à forca depois de serem pegos portando 5 gramas ou mais de maconha.

Flag map of Indonesia.png Indonésia
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografiaEconomiaCulturaTurismo
Jackiechan.jpg
Ásia
v d e h

Países: Afeganistão | Arábia Saudita | Armênia | Azerbaijão | Bahrein | Bangladesh | Brunei | Butão | Camboja | Cazaquistão | China | Chipre | Coreia do Norte | Coreia do Sul | Egito | Emirados Árabes | Filipinas | Geórgia | Iêmen | Índia | Indonésia | Irã | Iraque | Israel | Japão | Jordânia | Kuwait | Laos | Líbano | Malásia | Maldivas | Mongólia | Myanmar | Nepal | Omã | Paquistão | Qatar | Quirguistão | Rússia | Singapura | Síria | Sri Lanka | Tadjiquistão | Tailândia | Timor-Leste | Turcomenistão | Turquia | Uzbequistão | Vietnã

Territórios: Abecásia | Caracalpaquistão | Caxemira | Chipre do Norte | Coreia | Curdistão | Estado Islâmico | Goa | Hong Kong | Ilhas Spratly | Macau | Manchúria | Nagorno-Karabakh | Ossétia do Sul | Palestina (Cisjordânia e Faixa de Gaza) | Taiwan | Território Britânico do Oceano Índico | Tibete

Coqueiro.jpg
Oceania
v d e h

Países: Austrália | Estados Federados da Micronésia | Fiji | Ilhas Marshall | Ilhas Salomão | Indonésia | Kiribati | Nauru | Nova Zelândia | Palau | Papua-Nova Guiné | Samoa | Timor-Leste | Tonga | Tuvalu | Vanuatu

Territórios: Guam | Havaí | Ilhas Cook | Ilha Christmas | Ilhas Marianas do Norte | Ilha Norfolk | Ilha de Páscoa | Ilhas de Pitcairn | Ilha Wake | Niue | Nova Caledônia | Polinésia Francesa | Samoa Americana | Tokelau | Wallis e Futuna