Racismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Racismo.
Um racista contraditório

Cquote1.png Eu odeio racismo... é crime e dá cadeia, e cadeia é coisa de negro!!! Cquote2.png
Algum idiota sobre Racismo
Cquote1.png Votar em branco!!! Cquote2.png
racismo nas eleições
Cquote1.png Você é, mas esconde Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre racistas
Cquote1.png Há três tipos de notas musicais: as pretas, as brancas e as redondas. As brancas valem o dobro das pretas. Cquote2.png
Professor Girafales ensinando racismo música para as crianças
Cquote1.png Dar um tiro no escuro!!! Cquote2.png
cultura popular racista
Cquote1.png Tenho medo do escuro!!! Cquote2.png
crianças que já desde cedo demonstram suas inclinações racistas
Cquote1.png Todos os pretos deveriam ser enforcados Cquote2.png
Redneck sobre Racismo
Cquote1.png Racista, eu? De jeito nenhum. Afinal, minha empregada é negra! Cquote2.png
Racista brasileiro sobre Racismo
Cquote1.png Eles são racistas. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Gremistas e Colorados


Ku Kux Klan: "Raças não existem. Racismo não existe. Somos todos iguais."

Racismo é uma doutrina político-religiosa que prega que existam raças superiores umas às outras, partindo sempre do princípio de que "a minha é sempre melhor que a do vizinho" (Na verdade, tecnicamente, isso aí é hierarquização social e não racismo. Racismo está mais para dizer que a inteligência e/ou o comportamento o/ou os valores morais e/ou a performance física de alguém são determinados pela cor da pele e/ou ancestralidade, mas, ahhhh, foda-se... São todos primatas pelados feitos de carbono com tempo limitado de vida que se acham mais do que realmente são no final das contas.)

O racismo no Bostil se apresenta de maneira diferente do racismo na Gordolândia. Enquanto nos Istadunidos o racismo é completamente aberto e Rednecks dizem sem medo de ser feliz que odeiam pretos (niggers), latinos (spics), judeus (kikes) e asiáticos (gooks ou chinks), no Bananil as pessoas fingem que não são racistas. Isso se deve ao fato de que na Murica a população preta sempre foi menos de 10% enquanto na Chimpolândia Latina sempre teve preto pra caralho. Logo, os rosados albinos das neves dos EUA sempre se sentiram confortáveis para serem racistas sem medo de ter de enfrentar consequências. Já no Brasil, sempre houve medo de que metade da população saísse na porrada com a outra metade. Outra maneira pela qual o racismo nos dois países se diferencia é que na Fatérica, o racismo é basicamente um monte de brancos rosados netos de alemães, escandinavos e britânicos tratando crioulos como se fossem merda. Já no Bananil, o racismo é digno de riso: um bando de pardos com a pele amarela (50% da população) discriminando outro bando de pardos com a pele marrom (outros 50% da população). Só que se ambos os grupos fizessem testes de DNA, descobririam que são igualmente um bando de híbridos sub-humanos resultado do cruzamento entre semitas genocidas ensebados e peludos do Sul da Europa, injus canibais e africanos com inclinação ao chimpout com diferenças apenas no grau de contribuição de cada grupo para seu DNA. Ou seja, BRs não entendem que só nessa fossa, que alguns chamam de país, é que alguém seria capaz de falar uma bizarrice do tipo "Minha mãe era negra, mas eu sou branca".

Estudos raciais[editar]

A doutrina racista surgiu a partir de Gobineau, um francês impotente, cuja mulher o trocou por um ex-escravo senegalês. A partir deste fato, Gobineau passou o resto de seus dias escrevendo um livro onde tentava provar a superioridade ariana - O fato dos europeus terem entrado em seus reinos, tê-los dominado completamente e arrebentado o rabo de africanos, asiáticos, indianos e indígenas sem dó e nem piedade tornando-os suas putinhas submissas por três séculos só facilitou a sustentar tal tese.

Em vários anos de pesquisas arqueológicas e estatísticas, o cientista descobriu que os arianos eram um povo ultrafodão, capazes de babaquices / jumentices / debiloidices façanhas inimagináveis, quase um tipo ancestral de super-saiyajin. Mas para sua decepção, acabou descobrindo, no fim da vida, que na verdade os tais arianos a que os antigos textos védicos se referiam, eram na verdade os nascidos sob o signo de Áries, enquanto ele, na verdade, estava mais para touro. Enquanto isso na Inglaterra, o primo do Charles Darwin, Francis Galton, chegou à conclusão de que a classe alta da Inglaterra era rica porque os ricos tinham melhores genes do que os pobres e lascados e, por isso, estes estavam predestinados a serem ratos de gueto para todo o sempre.

Os habitantes da Fatérica gostaram muito desses estudos raciais do século XIX, e, se inspirando neles, escreveram os seus próprios. O mais famoso é a obra The Passing of the Great Race de Madison Grant. O argumento principal dessa obra é que a única raça digna de viver e procriar é a formada pelos rosados recessivos do Norte da Europa. Guidos, Dagos, Poortugueses, Negros da Raça Branca, Sociólogos Boiolas e Bêbados Comedores de Batata não mereciam ser chamados de Europeus segundo Madison. Claro que Crioulos, Comedores de Curry, Mutantes Híbridos, Caras Amassadas e Injus não eram considerados humanos por esse autor, acho que nem é preciso mencionar esse fato. Dessa forma, seguindo os conselhos do eugenista, em 1882 os Rednecks proibiram os Crioulos do Arroz de entrarem no país. Pretos, é claro, sempre foram proibidos, a não ser para realizarem trabalho gratuito e sem direito à sindicalização e Manipuladores de Taco eram tolerados para fazerem trabalhos de sub-humanos. Em 1924 foi a vez de Europeus do Sul e Europeus do Leste serem proibidos de entrar na Gordolândia.

Essas proibições foram elogiadas pelo próprio sacerdote do Deus do LoL, Hitler, que dizia que os Estados Unidos tinham criado um paraíso dos Neandertais Recessivos no Novo Mundo, onde "a negrada era colocada em seu devido lugar". Inclusive o bigode de xaninha usou as leis Jim Crow, que segregavam os cantores de rap em guetos como inspiração para criar os guetos de judeus, claro que sem o crack e o rap, e se baseou na one-drop rule para decidir quem era alemão e quem não era. Contudo, nem os alemães foram tão rigorosos na aplicação da lei em relação aos bisnetos de judeus, pois nos Estadunidos, se alguém tivesse um bisavô preto era considerado preto e tinha de andar só com pretos. A obrigação de ter de passar seus dias numa barbearia do gueto segurando uma bola de negroball enquanto comia frango frito e melancia cantando rap fez com que muitos bisnetos de crioulos de pele branca se matassem ou enlouquecessem (sim, é duro viver na selva).

Muita gente rica e famosa era a favor e financiou o racismo nos Estados Unidos, como Rockfeller, J.H. Kellogg, Alexander Graham Bell, Henry Ford, etc. Na verdade, mesmo lideranças do Movimento Negro pretos como a noite como W. E. B. Du Bois e Thomas Wyatt Turner defendiam a eugenia e diziam que a negrada burra e pobre deveria ser proibida de procriar enquanto os negros mais inteligentes e bem-sucedidos isso non ecsiste deveriam se casar com os brancos mais inteligentes e bem-sucedidos (CARALHO!! QUE SOCO NO ESTÔMAGO DO MOVIMENTO AFRO-CHORORÔ!!). W. E. B. Du Bois acreditava que "apenas os negros aptos deveriam procriar para erradicar a herança racial de iniqüidade moral" (PUTA MERDA!! E AGORA, QUEM PODERÁ DEFENDER ANGELA DAVIS??).

Com a grana de todos esses empresários racistas caridosos, o programa eugenista dos Estados Unidos foi colocado para funcionar e mandou para a vasectomia e laqueadura sub-humanos como latinos, pretos pobres e fudidos (ou seja, todos eles), doentes mentais, mulheres da vida, italianos, pobres, criminosos, e qualquer um que os deuses nórdicos achassem que não mereciam procriar e passar seus defeituosos genes para frente. (Porra!! Genes defeituosos quem tem são esses albinos rosados, mutantes com recessividade genética!! Deuses Nórdicos a puta que os pariu!! São um bando de macacos rosados filhos de uma porca cor-de-rosa). Não preciso dizer que Hitler também copiou tal programa, só que o aplicou de maneira muito mais satisfatória aos Deus da Zoeira, pois, além de esterilizar a vagabundagem, ainda mandou uma caralhada para o forno em honra a Odin.

Racismo no Brasil[editar]

O Racismo é algo que segundo Ali Kamel, non ecziste no Brasil , afinal nosso país é uma verdadeira democracia racial, onde brancos e negros desfilam juntos no carnaval, onde 25% da sociedade é negra, e 75% da sociedade também é negra, tudo é preto, nego é preto, flamenguista maloqueiro e sofredor, mano.

Muitos analistas agirmam que Kamel tem total razão, principalmente se for considerado que o número de negros mulatos que pensam que são negros nas novelas globais, nos altos cargos executivos e até mesmo nas faculdades, é igualzinho ao de brancos sub-crioulos do deserto miscigenados que pensam que são brancos. Também vale considerar que expressões como "negro de alma branca" são ficções que só se veem em novelas do Manoel Carlos.

Desista, Ku Klux Klan!!

Todavia, o racismo no Brasil é algo real e tangível. A população brasileira é basicamente formada por 10% de rosados-Patrick Estrela, 40% de amarelados-cor-de-hepatite (contando o 1% de crioulos do arroz) e 50% de marrons-cor-de-bosta (contando o 0,5% de injus). O racismo no Bostil então se dá entre um bando de pardos de pele amarela contra um bando de pardos de pele marrom. Em relação a isso, quando você diz aos retardados militantes do Movimento Negro que no Brasil não existe branco de verdade quase, eles dão chilique e dizem que a percepção racial no Bostil é diferente da de outros países e que, por isso, 50% da população pode ser considerada branca. Só que quando aparecem pessoas que se dizem neonazistas no Bananil, eles dizem que esses neonazistas são na verdade white pardos e não brancos de verdade. Logo, podemos ver que a conveniência faz com que às vezes existam brancos no Brasil, às vezes não. Depende do que a esquerda bostileira decide, pois, como sabemos, eles são muito mais inteligentes e moralmente superiores a todo mundo, podendo ser chamados de santos geniais.

Como a esquerda sociedade só considera racismo algo feito contra negros, mesmo quando algum crioulo puxa os olhos e fala trocando os Rs pelos Ls para imitar comedores de arroz, podemos ver que a esquerda sociedade é cheia de white guilt. Mesmo considerando que 87% das pessoas considerarem todas as loiras burras, 168% da população Brasileira ter como verdade a Inferioridade dos portugueses e 78% das piadas são de japonês com pinto pequeno.

Esquerda e racismo[editar]

Socialistas anarco-terroristas também são racistas a medida que vêem deficiência no albinismo e defendem que todos tenham melanina ao invés de dar "privilégios" para albinos.

A esquerda em todo o mundo, que é basicamente formada por brancos de classe média, é cheia de white guilt só porque os albinos recessivos, exercendo seu direito à zoeira, invadiram todos os continentes habitados por outras raças, escravizaram os habitantes, cometeram genocídios e estupros - gerando aberrações híbridas como mexicanos, brasileiros e filipinos, roubaram recursos naturais, etc. Dessa forma, hoje em dia a esquerda diz que todo branco nasce culpado de ser branco e deveria se ajoelhar e pedir desculpas para todas as outras raças, principalmente para os neguinhos da savana.

Um local privilegiado para ver o white guilt em ação é o Califado Germânico, onde os habitantes fazem de tudo para agradar crioulos do deserto e neguinhos. Na verdade, uma atividade muito comum entre as bichas albinas é se ajoelhar perante um crioulo, oferecer sua mulher para ser comida e, enquanto o chimpão da savana mete a vara, o maridão cheio de white guilt recita "Sou um Diabo Branco, por favor me perdoe por ter nascido, me perdoe por Hitler. Coma minha mulher o quanto quiser, ó injustiçado homem negro. Inclusive deixe que eu chupo sua pica para ela ficar molhada e ser mais fácil para penetrar no cu de minha esposinha!!". Claro que os negros - que apesar de falarem que têm orgulho da própria raça, ficam babando e pulando igual chimpanzés quando veem uma xoxota rosada - se sentem muito satisfeitos com tal oferenda de bucetas alemãs.

Já nos Estados Unidos, os famosos ratos de trailer estão cagando e andando para tudo isso e querem mais é exercer seu direito de colocar os pretos em forcas. Claro que muitos deles na verdade sonham em ser penetrados por cacetes pretos e mexicanos e, por isso, pagam crioulos e comedores de tacos para foderem suas esposas enquanto eles batem punheta sonhando que estão no lugar das rednecks obesas e ensebadas sendo fodidos por caralhos pretos e marrons.

No Bostil, onde o tribunal lacrador da internet é poderoso para arruinar vidas alheias, os esquerdistas cuckolds, os quais sonham com um caralho preto bem roliço na boca, ficam patrulhando as redes sociais para tentar encontrar qualquer sinal de homofobia, injúria racial, racismo, machismo, pedantismo, hinduísmo, sexismo, fascismo, cristianismo, espiritismo, liberalismo, ismo ismo ismo para terem motivos para fazer textões com a desculpa esfarrapada de quererem trazer justiça ao mundo - quando, na verdade, todo mundo sabe que é só vontade de aparecer mesmo.

É muito comum entre a esquerdinha BR achar que tem o direito de decidir o que os outros podem ou não dizer, e, para justificar o autoritarismo, geralmente vem com a frasezinha feita "Liberdade de expressão não é liberdade de opressão mimimimi" ("E sou eu quem decido o que os outros podem ou não dizer, tá bom?? Eu sou quase Jesus. Um ser de pura moralidade, quase um santo de carne!!"). Além disso, se um bandido assaltar alguém à mão armada, o esquerdinha sem testosterona vai soltar frases do tipo "Foi a sociedade que o fez assim", "Ele é uma vítima de crime social, de injustiça", "Crianças violentas apenas devolvem para a sociedade a violência que receberam" e mais de 8000 mimimimis. Mas se alguém xingar um preto de macaco, crioulo, chimpão, ou qualquer coisa assim, o esquerdoso justiceiro já vem com "AIII RACISMO, RACISMO! Manda para a cadeia para apodrecer até a morte!!! Sem direito à reabilitação!!! Maldito!! Tem de ter a vida arruinada para sempre!!!". Porque todos sabem, ofender um preto (e só vale se o ofendido for preto) é muito, muito pior do que apontar um tresoitão na cara de alguém. Até porque o famoso "Se sentiu ofendido? Xinga de volta!!" não vale mais na sociedade lacradora de hoje.

Como acabar com o racismo[editar]

É uma coisa tão simples que até um preto você poderia fazer, é so fazer um black-out!! Hehe não entendeu? Vá estudar em inglês seu preto (brincadeira sei que é muito caro para você).

Exemplo de diálogo racista[editar]

Chimpout interracial Diálogo inspirado em todas, todas, todas as discussões entre o Black Lives Matter e os Supremacistas Brancos na caixa de comentários do youtube:

- Eu tenho orgulho de ser preto!!

- Uou, orgulho porque tem mais melanina na porra da pele? Que conquista pessoal mais foda!! Parabéns!!

- Ae seu porco cor-de-rosa do caralho, o orgulho é por sobreviver todos os dias mesmo sendo preto! Ainda não ter sido preso como outros irmãos!

- Uou, orgulho porque cumpriu as coisas mais básicas que se espera de qualquer ser humano: não morrer numa briga de gangues ou não ser preso! Que inveja!

- São mais de 500 anos de opressão...

- Foda-se! Vai reclamar com seus ancestrais que perderam as guerras tribais la na Chimpolândia e foram trocados pelos reis ngolas de merda por tecidos baratos, pinga e armas de fogo, já que nem isso aqueles bostas conseguiam fabricar. Cês perderam a guerra, agora aceitem seu destino. Ou pega uma máquina do tempo e vai chorar as pitangas lá pros senhores de engenho, que eu tô cagando e andando pra situação do seu povo! Não tenho nada a ver com essa merda! Eu nunca vi um país com maioria de pretos ser desenvolvido. Cê deveria agradecer pelos europeus terem tirado seus ancestrais daquele poço de merda chamado África, que era tão bosta que nem conseguiu se defender da colonização europeia e acabou virando o continente saco de risadas do mundo. Até uma bosta de chicano ou um comedor de curry podem olhar aquele depósito de lixo por cima!!

- Ae, seu neandertal albino do caralho! Negros já foram reis, criaram a grande civilização do Egito e tal!!

- Provavelmente os egípcios se pareciam com os árabes e berberes modernos, seu preto do caralho! E mesmo que tivessem pretos envolvidos nessa porra, isso foi há 5 mil anos. De lá para cá a única contribuição que seu povo deu para a humanidade foi servir de jumento de carga, um trabalho muito bem feito, diga-se de passagem. Cês deveriam ter continuado cortando cana e colhendo algodão, chimpão!!

- Ae, sua mutação genética de merda, seu sub-humano do caralho! O hip-hop, o samba, o kuduru!!

- Uou!! O que são a medicina e a física modernas, vacinas, computadores, foguetes, etc. perto da grande crioulo music!! Além disso os chimps usaram instrumentos e equipamentos criados pelos que cê chama de lixo genético recessivo como violão, guitarra elétrica e toca discos!! Na verdade, até aqueles comedores de curry e os fodedores de cabras do deserto foram mais úteis que vocês desenvolvendo a matemática e tal.

- Ae seu Crioulo do Ártico, as suas mulheres envelhecem e estragam mais rápido do que queijo fora da geladeira. As caras-de-leite viram coalhada rapidão! Já a poderosa mulher negra chega longe sem nenhuma ruga, seu babuíno da tundra. Vai procurar um mamute na Sibéria para enfiar seu palitinho cor-de-rosa!

- A poderosa mulher negra tem tanta testosterona que provavelmente nasce com um pinto no lugar do clitóris e precisa cortar aquela merda ainda recém-nascida, chimpão cor-de-bosta!

- É essa testosterona aí que garante aqueles rabos maravilhosos, ao contrário de você que tem de bater saco naquelas tábuas. E fica aí todo orgulhoso enchendo a boca para falar do que os macacos das neves fizeram e deixaram de fazer, mas, me fala aí, o que você, como indivíduo fez? Que grande contribuição você, como indivíduo, deu para a humanidade?? Porra nenhuma!! Então para aí de encher a boca para falar do que outros fizeram só porque eles tinham a mesma cor de pele que a sua. Ficar aí gozando com o pau alheio vai te levar pra onde, chimpão albino?? Rato de trailer!!

- E você fez o que, seu bosta, além de não ter sido preso!! Uouuu, que conquista pessoal do caralho!!

- Nossa, agora estou pensando aqui: quer dizer que devemos nos orgulhar como indivíduos ou julgar os outros como indivíduos pelo que nós fizemos ou deixamos de fazer e pelo que eles fizeram ou deixaram de fazer como indivíduos, pelas suas ações pessoais, e não por conta de coisas que as pessoas não podem controlar, como a quantidade de melanina na pele...O que importa são as ações individuais das pessoas e não o fato de pertencerem a esse ou àquele grupo social. Enxergar uma pessoa como se tudo o que importasse nela fosse a cor da pele ou a ancestralidade é errado...

- Nossa!! Acho que você tem razão!! Algumas pessoas brancas podem ter feito diversas coisas, mas foram outras pessoas, e não eu. Você está certo...Eu mesmo nada fiz na minha vida que seja digno de nota ou admiração. Por isso me agarro à cor da minha pele para poder me sentir importante e menos fracassado. Mas isso é errado, pois a cor da pele é algo que ninguém controla, a não ser que seja rico e doido de pedra como o Michael Jackson...

- Na verdade eu quero é mais é que se foda, Patrick Estrela!!! Macaco recessivo de merda!! Volta pra bosta do seu trailer, seu redneck de bosta! Aproveita e vai foder sua irmã, aquela aberração genética mutante e obesa do caralho!! Vai comprar um Big Mac para aquela baleia de terra, seu merdão!!

- Vai se foder, seu macaco da savana do caralho!! Volta pra floresta de onde você veio!! volta pro gueto para ser morto aí por outros crioulos, seu rato de favela!!

Galeria de Fotos[editar]

Ver também[editar]