Tinta de invisibilidade

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Chafundifórnio após aplicar a tinta de invisibilidade aperfeiçoada em seu corpo. Infelizmente, ele estava sem dinheiro para comprar uma capa de invisibilidade, e teve que se contentar com essa invisibilidade parcial mesmo...

Elaborada pelo renomado homem do saco e cientista mexicano Seu Madruga, e distribuída no Brasil pela Liko Tintas Industriais, a tinta de invisibilidade é uma das invenções mais revolucionárias e úteis do século XX, junto do telefone celular e do Xvideos. Essa poderosa solução aquosa é a única coisa que pode derrotar o mítico Homem Invisível, terrível malfeitor, procurado pelo FBI por ficar dando chaves de braço em pobres senhores que cobram aluguéis.

Criação[editar]

Quase que o Homem Invisível foi pego!!

Assim como todas as grandes invenções da humanidade, a tinta de invisibilidade foi criada acidentalmente. Em uma tarde qualquer de outubro, o grande compositor de batidas rancheiras Seu Madruga estava inspirado, e com muita vontade de criar uma música linda que ficaria imortalizada nos anais da humanidade. Porém, o seu violão de estimação, que tinha apenas vinte anos de uso, estava desquebraçado, sem o braço. Nesse momento, Madruga se arrependeu de tê-lo emprestado na noite anterior para Paula Fernandes, sua amante secreta, usá-lo como dildo. Mas não era hora para lamentações. Antes que perdesse todas as ideias para a sua mais nova composição, Madruga começou a mexer o grude, uma poderosa solução que é o primórdio do Super Bonder.

Mexida vai, mexida vem, e Madruga, em meio ao tédio, lembrou-se do dia em que levara seu grande amigo, Homem Invisível, para tirar o passaporte. Enquanto estava distraído, viajando nessas boas recordações, Madruga acabou derramando no grude, sem querer, algumas gotas de seu precioso lico de cair pinto, que ele tinha ganho no penhor, após ter batido o recorde de penhoras de ferro de passar roupa.

Após ter feito essa cagada, a primeira reação de Madruga foi descontar no primeiro idiota que aparecesse, afinal, todos precisam de um bode expiatório. Porém, enquanto esperava por esse idiota, Madruga notou que a fórmula borbulhava de uma maneira estranha, diferente de qualquer coisa que ele já tinha visto em seus cinquenta e todos anos. Curioso com aquilo, Madruga coletou algumas amostras da substância, e pediu para Jaiminho, um amigo de confiança, levar essas amostras para serem analisadas na Universidade Federal de Tangamandápio, pois esta é conhecida pelas suas análises altamente precisas de componentes. Apesar de querer evitar a fadiga, Jaiminho aceitou ajudar Madruga, e levou a amostra para a universidade de sua cidade natal. Ignoremos o fato de que ele levou dois anos para chegar lá, e mais dois para voltar com os resultados.

Depois de quatro anos, Jaiminho retornou com o resultado das amostras: De acordo com as pesquisas, a fórmula era composta por Ti2In, ou seja, ela tinha propriedades anti-invisibilidade, capazes de revelar o paradeiro até dos ninjas mais experientes e cautelosos. Entusiasmado com sua criação, Madruga começou a fazer experimentos com essa tinta, misturando ingredientes exóticos, como óleo de rícino, pêlos de gato preto, vinagre, suco de pau barbado, etc.

Após muitas tentativas, e de ter gasto todo o dinheiro do aluguel na compra de ingredientes, Madruga finalmente conseguiu concluir a tinta de invisibilidade, capaz de deixar qualquer usuário invisível por tempo indeterminado. Porém, entretanto, mas, sabendo que isso poderia ocasionar uma Terceira Guerra Mundial, Madruga resolveu não registrar a solução em cartório, apenas guardar um pouco dela em casa, para os dias em que tivesse vontade de praticar um pouco de voyeurismo vendo sua vizinha gostosa Glória tomar banho.

Utilização[editar]

O esboço da tinta de invisibilidade, capaz de revelar pessoas invisíveis, foi muito útil no salvamento de Zenon. Se não fosse essa tinta, nosso redondo amigo estaria com o braço quebrado neste momento, pois o Homem Invisível é bombadão, e estava lhe aplicando uma chave de braço muito forte. Apesar de Chaves e Quico terem salvado o braço e a vida de Zenon, Seu Madruga não gostou nada do modo como a sua preciosa tinta fora utilizada, e puniu os dois com os seus mais poderosos golpes milenares. Depois disso, percebendo que aquela primeira fórmula de sua tinta só causaria mais confusão, Madruga a jogou no rio, para ela nunca mais voltar. Foi multado pela fiscalização ambiental, mas nem se importou, pois só precisava usar um pouco de sua tinta de invisibilidade aperfeiçoada para escapar dos cobradores do governo.