Deslistas:Versões turcas de filmes famosos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Deslistas.gif

Este artigo é parte do Deslistas, o sumário livre de conteúdo.


Versões turcas de filmes famosos são versões com baixíssimo orçamento de filmes famosos feitas na Turquia, especialmente nas décadas de 70 e 80. Esses filmes são conhecidos por terem um bom enredo, além de serem interessantes seus incríveis (d)efeitos especiais, além de roubarem a trilha sonora dos filmes que foram plagiados e também terem milhares de furos de roteiro e vilões com alzheimer que sempre se esquecem de seus objetivos.

Mas esses filmes de merda eram feitos porque a exportação dos originais era cara pra caralho, o que resultava neles mesmo terem que fazerem suas próprias versões cagadas dos filmes famosos da época. Confira agora algumas dessas pérolas bizarras da humanidade:


Pérolas do Cinema[editar]

Ayşecik ve Sihirli Cüceler Rüyalar Ülkesinde (O Mágico de Oz turco) - 1971[editar]

Todo mundo posando feliz pra capa (espera, o que esses anões fazem aí?)

Baseado (baseado, mesmo) no famoso livro O Farsante de Oz, esse filme é praticamente a mesma coisa que o original: a Dorothy, aqui chamada de Ayşecik morava numa fazenda, até que um tornado leva ela para uma mágica terra chamada Oz, e aí, no meio da história, um espantalho, um homem de lata e um leão (todos com nomes turcos estranhos) se juntam para ir até o Mágico de Oz realizarem seus desejos, já que eles são cheios de defeitos (como os filmes da Turquia), além de derrotarem uma bruxa.

E o final é a mesma coisa que o filme: o mágico revela que é uma fraude e que todo mundo já tinha desejado o que queriam, e aí, a Dorothy turca volta pra casa e fim.

3 Dev Adam (Capitão América e El Santo vs Homem-Aranha) - 1973[editar]

Capitão América e El Santo vendo as vendas do filme
Batman Vermelho salvando uma prostituta pobre inocente

Se o título parece estranho, a história é ainda mais: em Istambul, o Capitão América precisa derrotar uma organização criminosa liderada pelo Homem-Aranha (repito: uma organização criminosa!), e junto com um amigo do Capitão América, o El Santo, um lutador mexicano que nunca mais apareceu no Universo Marvel, eles tem que descer o cacete na gangue, cujo membros dela são chamados de homem-aranha, sendo seu líder o Homem-Aranha. Ficou confuso? Sim, eu também. Pra piorar, os personagens são cheios de defeitos: o Capitão América não tem seu escudo, o El Santo não sabe lutar e o Homem-Aranha não consegue soltar teias.

No final, ainda chega uma policial chamada Julia pra ajudar o Capitão e o El Santo, além de ser revelado que existem quatro homens-aranha, sendo que o El Santo e o Capitão América já desceram o cacete em dois e esse negócio de Homem-Aranha está ficando confuso, mas enfim, eles derrotam os outros homens-aranha e o Homem-Aranha, que é o líder da gangue e fim.

Yarasa adam - Bedmen (Batman turco) - 1973[editar]

Saiu no mesmo ano que a maravilha do Capitão América e El Santo vs Homem-Aranha, e caso você já tenha percebido no título, o filme é uma cópia de Feira da Fruta, e talvez porque o dinheiro deles era baixíssimo (igual ao salário do Professor Raimundo), o filme é todo preto e branco, além do Batman ser vermelho (provavelmente por causa da cor da bandeira da Turquia, não sei dizer), parecer um adolescente de 15 anos e ser chamado de Bedmen, que traduzindo do ingrês, significa Homem-Cama.

O filme tem bastante putaria, e não tem nada a ver o Batman estar nele e aliás, o Coringa nem aparece! Aqui, o Batman tem que lutar contra uma organização criminosa que quer acabar com as mulheres bonitas e impor o homossexualismo; é, o melhor enredo de todos.

Turist Ömer Uzay Yolu'nda (Star Trek turco) - 1973[editar]

Spock de amarelo? (Repare no rapaz ali atrás, esbanjando masculinidade)

Parece que em 1973 os cineastas turcos estavam bastante produtivos, hein? Essa aqui é a versão mais fiel à original, sendo que esse filme mistura vários acontecimentos de vários episódios de Star Trek, além de ser uma cópia perfeita (nem tanto, já que os efeitos especiais não ajudam) desses episódios. Mas o filme não é só isso, porque é claro, tem que ter aquele toque especial dos filmes turcos. Esse filme aqui é um crossover de Star Trek com o Turista Ömer, um personagem "engraçado" bem famoso na Turquia naquela época, que no Brasil seria o equivalente ao Jeca Tatu; e como o Turista e a tripulação da Enterprise se juntaram? Simples, o Turista Ömer estava num casamento forçado com uma baita de uma gatinha baranga, e desejou que ele estivesse longe daquele lugar, e ele conseguiu ir longe, mas muito longe que acabou indo para o universo do Star Trek turco.

Não há muito de se esperar dos efeitos especiais; o filme já começa com uma cena da série original da Enterprise voando com uma imagem toda laranja sem motivo, algo que provavelmente fazia sentido na cabeça do diretor do filme; e os efeitos de teletransporte e dos tiros dos phasers parecem que foram feitos com giz de cera, fazendo até parecer que o phaser é uma arma de porra.

Seytan (Satã O Exorcista turco) - 1974[editar]

Mais assustador que a menina do filme original...

Por incrível que pareça, fizeram uma versão turca de O Exorcista que por acaso, não dá medo em ninguém. Como no original, um padre tem que tirar o capeta do corpo de uma menina, que aqui no filme parece que contrataram a primeira guria retardada que viram pela rua, e vale ressaltar que o filme não tem nada a ver com o cristianismo. Aqui, a religião usada é a do islamismo, que é a religião da Turquia; até porque, se não mudassem a religião, isso causaria o maior furdúncio.

O filme tenta ser assustador, mas falha, e falha pra caralho. Primeiramente, é preciso dizer que toda vez que alguma cena "assustadora" acontece, eles usam uns efeitos sonoros de gritos que depois da terceira vez que é usado, começa a ficar irritante. E aliás, preciso falar da famosa cena onde a menina gira sua cabeça e assusta qualquer um; aqui nesse filme, a guria retardada faz uma cara "assustadora", cheia de tinta vermelha sangue e aí, ela gira a cabeça com um truque cinematográfico horrível, que dá até para perceber como fizeram.

Süpermen Dönüyor (Superman turco) - 1979[editar]

O Superman turco consegue derrubar seus inimigos sem encostar neles, e só isso o torna mais poderoso que o Superman original!

O filme conta a origem do Superman de uma origem bem cagada e cheia de (d)efeitos especiais, principalmente nas cenas em que o Homem de Aço voa. Aqui, o nome dele não é Clark Kent, mas sim, Tayfun, que por acaso é o mesmo nome do ator que faz o Clark e o Superman. O filme é praticamente a mesma coisa da história do Superman, e vale ressaltar que falam o tempo todo de quando ele foi de Krypton para a Terra, mas a diferença é que não mostram a cena desse acontecimento, mas é o que dizem por aí: Cquote1.svg Quem não tem dinheiro conta história Cquote2.svg

Aqui, os personagens tiveram seus nomes trocados, como o Clark Kent, que virou Tayfun e a Lois Lane, que agora virou Alev. Basicamente, o Tayfun descobre que é o Superman quando ele recebe uma mensagem do seu pai após ele quebrar uma kryptonita que seus pais adotivos deram pra ele, e o Tayfun sai da cidade para trabalhar como jornalista com uma despedida que parece que ele vai pra guerra. Ele descobre que tem um cientista do mal que de alguma forma, sabe da existência da kryptonita, que aqui tem outra função: transformar coisas em ouro. O cientista faz algumas traquinagens pela cidade, além dos capangas terem feito várias tentativas de sequestro da Alev, que tinha uma fórmula que envolvia a kryptonita ou algo assim. No final, o Superman desce o cacete nos caras do mal e fica com a Lois Lane turca aí, e o filme termina com o símbolo do Superman que parece que foi desenhado por uma criança de 7 anos em um papelão pintado de azul. Melhor final de todos, chorei bastante.

Dünyayi Kurtaran Adam (Star Wars turco) - 1982[editar]

Cquote1.svg Essa turminha do espaço vai arranjar muita confusão no tribunal! Cquote2.svg
Narrador da Sessão da Tarde sobre Star Wars Turco

Traduzindo (no Google Tradutor, porque não sei falar turco), o nome desse filme é O Homem que Salvou o Mundo, um título bem genérico, à propósito. Mas... o que isso tem a ver com Star Wars? A resposta é simples, eles basicamente roubaram sem permissão (roubaram sem permissão? O RLY?) algumas filmagens e a trilha sonora do Star Wars IV, que estava bem famoso na época e além disso, a música do Indiana Jones é a música que sempre toca nas cenas de "ação", e não me pergunte o porquê. Aliás, vale ressaltar que o ator principal desse filme, um tal de Cüneyt Arkın, que me recuso dizer seu nome novamente, começou sua carreira com esse filme. Que honra, hein?

O filme conta a história de Murat e Ali (Ali? Onde?), cujas naves caem num planeta após uma batalha espacial que por acaso, rouba descaradamente as imagens da Batalha de Yavin do Star Wars IV. Tem também um vilão, que é um cover do Leônidas que por acaso quer dominar a Terra, e, como já dá para saber, eles descem o cacete nos inimigos e no vilão, e assim, o título até que faz sentido, mas não deixa de ser um final previsível...

Badi (O ET Assassino) - 1983[editar]

ET ajudando o Elliot a fugir da escola
Cuidado! O ET turco com cara de tarado vai te assombrar durante a noite...

Traduzindo (no Google Tradutor, de novo), o nome do filme é Amigo. Esse filme era para ser uma adaptação do filme ET - O Extraterrestre, do famoso Steven Spielberg, mas acabou falhando miseravelmente e por algum motivo, a Enterprise (aquela nave famosa do Star Treco), aparece no pôster do filme.

Conta a história do ET turco, que parece o Mr. Hankey e sua cabeça parece a de uma boneca amassada. Enfim, assim como o ET, caiu na Terra e virou amigo do Elliot turco, mas não só dele, assim como de todas as crianças. Já com os adultos, é diferente: o ET turco mata os adultos. Já dá pra ver que esse é o filme mais family friendly de todos não é, criançada? Por causa do assassinato em massa dos adultos, o ET acaba causando uma guerra, o que faz com que vários adultos persigam o ET e o Elliot, que correm dos adultos mal-humorados e aí, acontece a famosa cena da bicicleta voadora, que aqui é um carrinho de compras.

De alguma forma, fizeram um filme que dizem ser sequência do ET Turco, mas tem nada a ver chamada Homodi e dessa vez, usaram outro boneco para o ET turco, que parece que tentou fazer uma plástica para parecer o ET original, mas acabou ficando com uma cara de tarado. A "sequência" conta a história desse ET deformado, que é um ET viadão que caiu na Terra (sim, essa é descrição do filme).

Kara Simsek (Rocky turco) - 1985[editar]

Um verdadeiro vencedor (ou não)

Uma verdadeira história de superação: conta a história do Rocky turco, que tem o grande sonho de se tornar o maior lutador de todos. No final, ele consegue, mas acaba tendo que lutar contra um oponente fortíssimo: os direitos autorais. Aí, o Rock turco perde. Um triste fim para um homem que tinha um futuro promissor...

Os efeitos do filme têm aquela qualidade de sempre, e nas cenas de luta, os atores ficam fingindo que estão dando socos na frente da câmera, e aí, filmam o outro ator levando o "dano" do soco. Realmente não há muita coisa que se possa falar sobre esse filme, já que pouquíssimas imagens dele existem por aí...

Korkusuz (Rambo II turco) - 1986[editar]

Bastante originalidade, como sempre...

Como se já não fosse bastante plagiar Rocky, acabaram plagiando outro filme do Stallone. Também conhecido como Rampage (não, esse nome não tem nada a ver com a série de jogos), esse aí foi um dos pouquíssimos filmes turcos que foram exportados e tiveram um DVD (oficialmente, é claro!).

Se você percebeu, eles resolveram plagiar logo a sequência do Rambo, não o primeiro filme; esse ato de genialidade nunca foi explicado. Assim como no filme original, é uma matança astronômica, só que com os mesmos defeitos especiais, e os atores nem conseguem fingir que estão morrendo, além de usarem a mesma técnica de "filmagem" para os socos que foi usado no filme do Rocky turco, e a bazuca, usada pelo Rambo turco no final do filme, tem o som mais escroto que pode ser dado para uma bazuca, além da explosão dela nem chegar perto dos inimigos que eles já morrem. Sobre a história, não se pode dizer muita coisa, e assim como o Star Trek turco, é uma cópia igualzinha a do filme original, sendo que nem a capa do filme foi perdoada.

Ver também[editar]